Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
siga-nos RSS Facebook Twitter YouTube
Enviar E-mail

 Antonio Meliço Silvestre (1900-1973)

 

  

INSA ADQUIRE OBRAS DE ANTÓNIO MELIÇO SILVESTRE (1900-1973)*

   

António Meliço Silvestre (1900-1973) 
 
 

O INSA adquiriu recentemente obras do prestigiado médico e professor António Meliço Silvestre, figura que se distingui na área saúde pública em Portugal. Regista-se assim mais uma incorporação de documentação que em muito enriquece o acervo bibliográfico patrimonial do Instituto, disponível na sua Biblioteca.

 

António Meliço Silvestre (1900-1973), natural de Feixedas, concelho de Pinhel (Guarda), licenciou-se em matemática e medicina na Universidade de Coimbra, onde obteve o grau de doutor em medicina com a tese Higiene da Alimentação: contribuição ao estudo das vitaminas (1932). Na especialidade concluiu o Curso de Medicina Sanitária no Instituto de Higiene, visitou os Institutos de Higiene de França e Itália e frequentou o Curso Superior de Higiene e o Curso Especial de Micologia da Faculdade de Medicina de Paris.

Com uma longa carreira académica, associada sobretudo à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, o Professor Meliço Silvestre lecionou Higiene, Bacteriologia e Higiene, Higiene Escolar, Higiene Hidrológica e Climatológica, e Demografia e Estatística Sanitária. Foi nomeado professor catedrático de Higiene e Medicina Social em 1942 e jubilado em 1970. Defensor de que uma verdadeira medicina tem de considerar a higiene como seu ponto de partida, pela evidência de que muitas doenças devem ser evitadas, senão suprimidas, participou em 1952 como delegado português na Conferência de Nancy sobre o ensino médico promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), registada no Boletim do Instituto Superior de Higiene Doutor Ricardo Jorge, pela temática tratada e por nela ter sido aprovada uma nova orientação para o ensino médico. Foi ainda por pugnar pela medicina preventiva que, em 1966, reforçou a necessidade de uma reforma dos estudos médicos que considerasse a prevenção da doença como um dos elementos fundamentais da medicina, na oração de sapientiae proferida na Universidade de Coimbra − O ensino médico português.

  

        

      

         Texto integral
         (pp. 276-303)

 

 ___________________________________________________

 
Ecos dum Congresso de Medicina - Nancy, 8 a I3 de dezembro de I952

In: Boletim do Instituto Superior de Higiene Doutor Ricardo Jorge. vol. 7(1952), pp. 276-303

Conferência europeia sobre o ensino da Higiene, da Medicina Preventiva e da Medicina Social no curso de medicina, promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Nancy (8-13 de dezembro de 1952). Reuniu professores de Faculdades de Medicina representantes de 19 países europeus, tendo o Professor Meliço Silvestre participado na qualidade de  delegado portugês.

O texto inclui relatórios, elaborados por solicitação de Meliço Silvestre, sobre o panorama nacional do ensino destas matérias nas Universidades portuguesas, nomeadamente nas Faculdades de Medicina do Porto, de Lisboa e de Coimbra. A título complementar inclui também um relatório do ensino no Instituto Superior de Higiene Dr. Ricardo Jorge, elaborado, a seu pedido, pelo diretor Fernando da Silva Correia.

Desempenhou igualmente outros cargos de merecido destaque. Foi chefe de serviço do Laboratório de Microbiologia (1932), diretor do Instituto de Patologia Geral e do Laboratório de Microbiologia e Parasitologia, membro do Conselho Médico-legal de Coimbra, inspetor sanitário e bromatológico dos Serviços de Dietética a Alimentação dos Hospitais da Universidade de Coimbra (1937, 1966), secretário (1948) e bibliotecário (1960-1964) da Faculdade de Medicina de Coimbra, diretor interino dos Serviços Anti-Rábico e Vacínico (1945-1952), diretor do Instituto de Higiene e Medicina Social (1965-1967), presidente do Centro de Estudos Demográficos, vogal da Comissão Nacional de Estatística Demográfica e membro da direção científica da revista Coimbra Médica.

A vasta bibliografia, publicada sobretudo em revistas científicas, testemunha o seu percurso profissional e documenta os contributos dados para a saúde pública, assentes em conhecimentos de matemática consubstanciados em relevantes trabalhos de estatística na investigação em saúde. Distribuída por mais de seis dezenas de títulos, versando assuntos de higiene, bacteriologia, demografia, estatística médica, etc. merecendo-lhe maior interesse a dietética, destaca-se:

O ensino médico português: problema pedagógico (1966) | A defesa sanitária das colónias portuguesas (1935); Estado sanitário de Coimbra (1938); Aspectos da sanidade portuguesa (1941); As afecções reumatismais e cardio-vasculares na mortalidade portuguesa (1953); A mortalidade perinatal portuguesa (1958-59); Aspectos médico-sociais das doenças cadi-vasculares (1961); Acidentes, envenenamentos e violências em Portugal (1963); Evolução de conceitos epidemiológicos (1966); A bioestatística na medicina do trabalho (1966) | O método gráfico na dosagem dos açucares (1931);  Higiene da alimentação: contribuição ao estudo das vitaminas (1932); A alimentação e a saúde pública (1942); Nova concepção de doenças de carência: equilíbrios alimentares (1944); A alimentação do desportista (1957); Anticorpos e globlinas: as globulinas na avitaminose C experimental (1957); Estudo cromatográfico dos glícidos de frutos (1965) | Doenças infecciosas e elementos climatéricos da região de Coimbra (1943); Aspectos do problema da tuberculose em Portugal (1915-52).

     

Destaque especial para a publicação Aspectos da sanidade portuguesa que documenta a comunicação feita nos Hospitais da Universidade de Coimbra em 29 de maio de 1941, a pedido do seu diretor, onde Meliço Silvestre salientou o impacto dos determinantes sociais e económicos na ocorrência de problemas de saúde e seus fatores de risco na população portuguesa:

     

Figuras 4, 5 e 6 - Representação gráfica dos casos de varíola e de febre tifóide de Portugal continental e seus distritos durante os anos de 1935-40.
Com base em dados facultados pelo Director-Geral de Saúde José Alberto de Faria, pretende-se demonstrar que o combate a estas e outras doenças infecciosas só é eficaz pela colaboração ativa das autoridades sanitárias com os representantes das atividades económicas e sociais.

 

O conjunto de obras de António Meliço Silvestre agora generosamente oferecido pelo filho ao INSA vêm completar o acervo do Instituto nestes domínios, os quais estiveram na origem da fundação do INSA em 1899 e que permaneceram como áreas de trabalho até aos nossos dias.

Estes materiais, sem dúvida, constituem uma fonte importante para o estudo da saúde pública, cujo entendimento passa necessariamente pelo cruzamento com a atividade do INSA, em particular nas áreas do ensino, da epidemiologia e da alimentação e nutrição e através de insignes personalidades desta instituição, nomeadamente: 

. Ricardo Jorge (1858-1939), no campo da epidemiologia e do ensino, merecendo neste âmbito especial referência a conferência A Estatística ao serviço da Medicina Preventiva proferida por Meliço Silvestre no Instituto em 1950, na II Reunião dos Delegados de Saúde e a regência do primeiro curso de Demografia e Estatística Sanitária em 1951, integrado no Curso de Medicina Sanitária ministrado na instituição desde 1902;

. A. Gonçalves Ferreira (1912-1994), na área da nutrição e alimentação, seu antigo assistente na cadeira de Higiene da Faculdade de Medicina de Coimbra, que na qualidade de médico nutricionista, em março de 1952, ingressou no Laboratório de Higiene dos Alimentos e Bromatologia desta instituição, tendo a partir de 1976 se dedicado à regulamentação do Centro de Estudos de Nutrição (CEN) criado em 1971, o qual dirige até à sua aposentação (1982), presidindo cumulativamente no INSA o Conselho de Alimentação e Nutrição (CAN), criado em 1980.

          

     ..       

             Texto integral

__________________________________________________

A Estatística ao serviço da Medicina Preventiva

Lisboa: Instituto Superior de Higiene Doutor Ricardo Jorge, 1950. - Separata de: Boletim do Instituto Superior de Higiene Doutor Ricardo Jorge. Ano 5, nº 25 (1950)

Conferência proferida no Instituto Ricardo Jorge por Meliço Silvestre, a convite de Fernando da Silva Correia, então diretor do Instituto, em 20 de abril de 1950, dia do encerramento da II Reunião dos Delegados de Saúde. Através de exemplos concretos, demonstra a importância dos profissionais de saúde terem sólidas bases de estatísticas para aplicação dos métodos estatísticos na descrição exata dos problemas de saúde das populações e na precisão e rigor na interpretação dos seus resultados,  quer seja na epidemiologia, na investigação laboratorial e mesmo na gestão das instituições, orientando com precisão os programas de ação a desenvolver e os planos de reforma necessários. 

 

                                                                                                                                        

                                                                                                                                                   Elvira Silvestre
                                                                                                                                            Biblioteca do INSA
                                                                                                              elvira.silvestre@insa.min-saude.pt

  ______________________________

*Obras oferecidas por cortesia de António Abel Garcia Meliço Silvestre, Professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, condecorado com a Medalha de Grande Oficial da Ordem do Mérito, pelo Presidente da República, em 2010.

Bibliografia consultada: bibliografia vária de António Meliço Silvestre; Boletim do Instituto Superior de Higiene. Lisboa. ISH, 1946-1953; Silvestre, António Meliço. Relembrar os Mestres … 1900-1973. Coimbra, 2009.