Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
siga-nos RSS Facebook Twitter YouTube
Enviar E-mail
 
19-01-2017 

 Instituto Ricardo Jorge investe 2,3 milhões de euros na requalificação de infraestruturas e equipamentos 

 
 

O Instituto Ricardo Jorge vai realizar obras de requalificação de várias infraestruturas e equipamentos laboratoriais, no âmbito de um investimento no valor de cerca de 2,3 milhões de euros que será concretizado até ao final do ano. Estas intervenções visam reforçar e melhorar a capacidade instalada do Instituto Ricardo Jorge em várias áreas de intervenção, como é o caso da resposta a situações de emergências em saúde pública.

Uma parte significativa deste investimento (cerca de 1,2 ME) será aplicada na implementação de um novo sistema de informação para a gestão de processos e procedimentos laboratoriais, garantido através do Sistema de Apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública (SAMA 2020), cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). O novo sistema será responsável por todo o ciclo de gestão laboratorial, desde o atendimento do utente/cliente, receção e processamento de amostras laboratoriais ou de investigação, até à faturação e gestão de indicadores de performance.

Está também prevista a requalificação de vários laboratórios, como são o caso do Laboratório Nacional de Referência de Infeções Gastrintestinais e do Laboratório Nacional de Referência de Resistência aos Antibióticos e Infeções Associadas aos Cuidados de Saúde, com um investimento de 300 mil euros, assim como a aquisição de equipamento para ensaios de diagnóstico por sequenciação de nova geração (Next Generation Sequencing).

Na área das infraestruturas, destacam-se as obras de requalificação dos alçados no edifício-sede em Lisboa, a substituição total da rede interna de gás natural e a substituição da rede de abastecimento de água, assim como a intervenção estrutural nas instalações decorrentes do projeto de medidas de autoproteção, tendo em vista a melhoria das condições de segurança e resposta às situações de emergência. O investimento nesta área tem um custo associado de cerca de 800 mil euros.