Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
siga-nos RSS Facebook Twitter YouTube
Enviar E-mail
 
27-01-2016 

 Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe com nova imagem 

 
 

O Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe, publicado semanalmente entre setembro e maio pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Instituto Ricardo Jorge), através dos seus Departamentos de Epidemiologia e Doenças Infeciosas, sofreu alterações ao nível da imagem. As mudanças introduzidas visam permitir uma leitura mais fácil da informação disponibilizada.

O Boletim de Vigilância da Gripe tem os seus conteúdos organizados pelas seguintes áreas: vigilância clínica (taxa de incidência de síndroma gripal); vigilância laboratorial (diagnóstico do vírus da gripe e outros vírus respiratórios e caraterização do vírus da gripe); severidade (internamentos por gripe em unidades de cuidados intensivos); impacte (mortalidade por todas as causas); monitorização da temperatura ambiente, taxa de incidência de SG e mortalidade; situação internacional.

O primeiro boletim de vigilância epidemiológica da síndrome gripal  foi emitido a 11 de outubro de 1990, sob responsabilidade da Divisão de Epidemiologia da Direção-Geral de Cuidados de Saúde Primários. A informação constante nesse Boletim era então produzida pela Rede Médicos Sentinela, baseando-se exclusivamente em informação clínica (número de casos de síndrome gripal e taxa de incidência semanal de síndrome gripal).

Ao longo deste tempo, o boletim sofreu várias alterações, tendo-se transformado num importante instrumento de apoio à toma de decisão em saúde, ao fornecer a informação semanal mais atualizada sobre a situação epidémica da gripe em Portugal. Em 2001, a emissão do Boletim de Vigilância da Gripe passou a ser efetuada pelo Instituto Ricardo Jorge.

O Instituto Ricardo Jorge mantém ativo, ao longo de todo o ano, um sistema de vigilância da gripe com duas componentes: diagnóstico clínico e diagnóstico virológico de base laboratorial. Através do Programa Nacional de Vigilância da Gripe assegura-se uma vigilância apertada sobre um vírus que prova uma doença aguda de forte impacto na saúde das pessoas mais vulneráveis. Para mais informações sobre a vigilância integrada e virológica da gripe, clique aqui