Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
siga-nos RSS Facebook Twitter YouTube
Enviar E-mail

 REVIVE - Rede de Vigilância de Vetores

 

As doenças transmitidas por vetores (mosquitos e carraças) emergiram ou reemergiram como resultado das alterações climáticas, demográficas e sociais, alterações genéticas nos agentes infeciosos, resistência dos vetores a inseticidas e mudanças nas práticas de saúde pública. Para avaliar o risco de vetores e doenças transmitidas por estes, é necessário monitorizar a introdução de novos vetores em novas regiões geográficas e determinar a atividade dos agentes infeciosos.

Estas doenças são evitáveis, já que os métodos de controlo e prevenção são amplamente conhecidos, sendo necessário conhecer a área geográfica de distribuição para que possam ser estabelecidas medidas, com o objetivo de mitigar os efeitos na população. Para isso, é necessário saber quais as espécies de vetores que estão presentes, a sua abundância, taxas de infeção para cada agente por área geográfica, o seu período de atividade, principais hospedeiros e fatores de risco para a população exposta ao contato com estes vetores.

A criação do REVIVE (Rede Nacional de Vigilância de Vetores) deveu-se principalmente à necessidade de instalar capacidades nas regiões, para aumentar o conhecimento sobre as espécies de vetores presentes, sua distribuição e abundância, impacte das alterações climáticas, explicar o seu papel como vetores e para detetar espécies invasoras em tempo útil, com importância na saúde pública. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Instituto Ricardo Jorge), como autoridade competente na vigilância epidemiológica, formação e divulgação de conhecimento, participa através do Centro de Estudos de Vetores e Doenças Infeciosas (CEVDI) no REVIVE.

O primeiro protocolo REVIVE (2008-2010) foi criado como uma rede entre a Direcção-Geral da Saúde, Administrações Regionais de Saúde do Algarve, do Alentejo, do Centro, de Lisboa e Vale do Tejo e do Norte e o Instituto Ricardo Jorge. O segundo protocolo REVIVE (2011-2015) prorrogou a vigilância para incluir também as carraças vetores com importância em Saúde Pública em Portugal.

Desde a sua implementação, o REVIVE-Mosquitos e o REVIVE-Carraças, têm contribuído para o conhecimento ecoepidemiológico das espécies vetor presentes nas várias regiões do Pais, a sua distribuição e abundância, bem como clarificar o seu papel como vetores de agentes de doença.

O REVIVE tem como objetivos:

  • Monitorizar a atividade de artrópodes hematófagos;
  • Caracterizar as espécies e sua ocorrência sazonal;
  • Identificar agentes patogénicos importantes em saúde pública, dependendo da densidade dos vetores, o nível de infeção ou a introdução de espécies exóticas para alertar para as medidas de controlo.

Os relatórios detalhados do programa REVIVE são enviados anualmente às Administrações Regionais de Saúde e à Direção-Geral de Saúde. A publicação do resumo geral é disponibilizada, anualmente, no portal do Instituto Ricardo Jorge. 

 

REVIVE - National Network for Vector Surveillance

The vector-borne diseases (mosquitoes and ticks) have emerged or re-emerged as a result of climatic, demographic and social changes, genetic changes in pathogens, vectors resistance to insecticides and changes in Public Health practices. To assess the risk of vectors and vector- borne diseases it is necessary to monitor the introduction of new vectors into new geographic regions and to determine pathogen activity.

Considering that vector borne diseases are preventable, since the methods for control and prevention are widely known, it is necessary to know the geographical area so that measures can be established, aiming to mitigate the effect of tick-associated diseases in the population. For that, it is necessary to know which tick species are present, their abundance, and infection rates for each agent per geographical area, their activity period, main hosts and risk factors for the population exposed to contact with vectors.

The creation of REVIVE (National Network for Vector Surveillance) was due mainly to the need to install capabilities in the regions, to enhance knowledge about the vector species present in the country, their distribution and abundance, the impact of climate changes, explain their role as  vectors and  to detect  invasive species with Public Health importance in a timely manner. The National Health Institute Doctor Ricardo Jorge (Ricardo Jorge Institute), as a competent authority in monitoring, training and dissemination of information on this subject, participates through the Vector Research Center and Infectious Diseases (CEVDI).

The first protocol REVIVE (2008-2010) was created as a network between the General Directorate of Health, Regional Health Administrations and Ricardo Jorge Institute.  The second protocol REVIVE (2011-2015) extended the surveillance to include tick vectors with Public Health importance in Portugal.

The program REVIVE–Mosquitoes and REVIVE-Ticks has produced quality data that allows to understand the geographical distribution, ecology impact of environmental changes in planning surveillance studies and assessment of risk in Public Health.

The REVIVE aims to:

  • Monitor the activity of hematophagous arthropods;
  • Characterize the species and its seasonal occurrence;
  • Identify important pathogens in Public Health, depending on the density of the vectors, the level of infection or the introduction of exotic species to alert for control measures.

The REVIVE detailed reports are send to the Regional Health Administrations and Directorate-General of Health every year.  An overview is provided annually at the Ricardo Jorge Institute webpage.

 

Consultar os relatórios REVIVE:

  

Contactos:

cevdi@insa.min-saude.pt